O cristão diante da crise – parte 06

Com este texto finalizo a série sobre crise. E para deixar claro que podemos ultrapassa-las quero finalizar com essa busca generalizada pela felicidade.

Muitas vezes tentamos compensar nossa baixa autoestima comprando coisas, adquirindo pessoas. Na verdade não queremos ser, nem ter, mas parecer.

Queremos parecer quem não somos. Queremos parecer cópias de alguém que invejamos. Mas fiquemos certos, toda cópia não passa de uma cópia, jamais será igual ao original, portanto sejamos nós mesmos, sejamos originais.

Felicidade não é fruto de esforço pessoal. Não pode ser produzida. Felicidade é um presente, uma dádiva de Deus. Não posso prender a felicidade, assim como não posso reter a vida. Meus dias são entremeados por momentos tristes e momentos alegres.

Ser feliz não significa viver num mundo perfeito. Tanto a alegria, como a dor, fazem parte da vida e ambas podem levar à felicidade. Feliz é o ser humano que, mesmo nas contrariedades e no sofrimento, se sabe abrigado nas mãos de Deus.

Mas somos orgulhosos, pensamos ser mais sábios que Deus, e queremos provar a todos, e a nós mesmos, que somos eficientes, trabalhamos bem, e assim criamos uma imagem boa diante dos outros e de nós mesmos. Nos esgotamos com esse esforço, nessa busca infrutífera pelo reconhecimento de terceiros, porque estamos usando exclusivamente nossa própria força, e esse reconhecimento muitas vezes pode não ocorrer. Se ao invés desse esforço improdutivo buscássemos em nosso interior a fonte do espírito santo, nosso trabalho fluiria mais facilmente e nossa satisfação seria plena

Quando as preocupações do futuro atrapalham seu dia, concentre sua atenção no dia de hoje, pois é nele que você decide se está ou não presente, se põe ou não mãos à obra, se fica ou não aberto ao que a vida tem a lhe oferecer. Dar conta do dia de hoje – esse é o verdadeiro desafio.

Por mais que andemos à procura da felicidade jamais a encontraremos longe de nós. Nunca a encontraremos em outra pessoa, em outra profissão, no sucesso profissional, ou na riqueza. Você só a encontrará dentro de você mesmo.

A grande dificuldade dos que vivem buscando a felicidade é que nunca a identificam. Deixam passar as oportunidades para usufruir tudo o que a vida tem a lhes oferecer e não percebem o que estão perdendo naquele exato momento. Buscam a grande felicidade, e deixam escapar pequenos momentos prazerosos. E se decepcionam quando não encontram o que procuram.

As pessoas ficam como que adormecidas e não percebem o que se passa a seu redor. Procuram a felicidade em vários locais, nos sonhos, ou nas ilusões, e se frustram. Sonham com sonhos que não são seus, procuram imitar alguém e ficam desiludidas quando não conseguem.

Para experimentar a felicidade é preciso despertar, abrir os olhos para perceber o que está ocorrendo a nossa volta. Felicidade é como um lago. Só quando fica tranquilo pode refletir a beleza do mundo que o cerca.

Nós também temos que ficar quietos para que a beleza que nos cerca possa espelhar-se em nós, em nossa alegria interior.

A luz e a escuridão, a alegria e a dor, fazem parte de nossa vida. É necessário aceitar esse antagonismo e conciliar-se com ele para chegar a uma avaliação correta da vida e, assim, criar as condições necessárias para que a felicidade possa florescer.

Não adianta ficar se comparando com os outros. Agradeça a Deus tudo o que ele lhe deu, e continua lhe ofertando a cada momento, ao invés de cobiçar o que é dos outros.

Você é responsável pelo dia que tem. Se ficar aborrecido e com raiva, todos com os quais entrar em contato também ficarão afetados negativamente.

Se, ao contrário, ficar alegre e distribuir sorrisos, perceberá que muitas pessoas a seu redor também ficarão alegres.

Os rituais nos ajudam a visualizar conceitos abstratos como a felicidade e um ritual noturno sadio nos faz mais sensíveis para o mistério da noite. No sono mergulhamos no solo profundo das raízes divinas. O próprio Deus quer nos falar durante nossos sonhos. A explicação para isso é relativamente simples: durante o dia todos nós vestimos uma espécie de couraça para nos defender do mundo externo, impedir que o mundo nos veja exatamente como somos, com todas as nossas falhas.

À noite, porém, despimos nossa armadura pois não precisamos mais nos defender do mundo. Nos abrimos, e por essa porta entra o sussurro de Deus nos dizendo que somos seus filhos amados e que ele nos ama muito.

Fecha-se a porta do dia que passou, a porta do trabalho, das dificuldades e dos problemas; abre-se a porta da noite, durante a qual posso deixar-me cair nas mãos de Deus.

Pela porta da noite entro no espaço de um novo dia. fecho a porta do passado para sentir-me totalmente no espaço presente.

A noite, lembra o sono da morte, e cada manhã é como uma ressurreição para uma nova vida possibilitada por Deus.

Por isso é recomendável fazer uma oração noturna, na hora de ir para a cama. Isso facilita nosso contato com Deus e possibilita um amanhecer mais tranquilo, mais feliz, mais alegre.

Não esqueça, a felicidade é feita de pequenas coisas. Você pode ser feliz, se quiser ser feliz. Pode se sentir feliz andando na rua de mãos dadas com a pessoa amada; jogando conversa fora na mesa de um bar com amigos; assistindo o nascer do sol perto da praia ou na montanha. Não perca essas oportunidades.

Por isso, o poeta sulista Mario Quintana nos diz:

Não deixe de fazer algo que gosta devido a falta
de tempo, a única falta que terá, será desse tempo
que, infelizmente, não voltará mais.

Um médico oncologista, do Rio de Janeiro, afirmou que todos os doentes que tratara tinham uma coisa em comum.

Todos, sem exceção, se arrependiam das coisas que não tinham feito, do abraço que não tinham dado, do perdão que não haviam concedido, das palavras que não tinham dito. Agora, que a vida lhes findava, ficava mais difícil arranjar tempo para fazer essa conciliação.

Passei por essa experiência quando ainda não acreditava em Deus e achava que ia morrer em um acidente com o avião no qual eu viajava.

Não ia ver minhas filhas se transformarem em mulheres, ver meus netos, e arrependi-me amargamente de tudo o que não tinha feito. Via meu fim se aproximar e não tinha como fazer o que não havia feito. Arrependi-me das flores que Teresa sempre me pedia e eu sempre negava, justificando que meu amor não era medido pelas flores que lhe ofertava, mas pela segurança que lhe oferecia. Agora tudo iria se acabar. Eu iria morrer e ficaria sempre lembrado como o marido que não dava flores para a esposa amada.

Lembrei-me então de um poema de Pablo Neruda, poeta chileno, dedicado a mulher que amava, ( in 100 poemas de amor):

Quando eu morrer, quero tuas mãos em meus olhos,
Quero a luz e o brilho de tuas mãos amadas
Passar uma vez mais sobre mim teu viçor,
Sentir a suavidade que mudou meu destino.
Quero que vivas enquanto eu, adormecido, te espero,
Quero que teus ouvidos sigam ouvindo o vento,
Que cheires o amor do mar que amamos juntos e
Que sigas pisando a areia que pisamos
Quero que o que amo continue vivo,
E a ti amei e cantei sobre todas as coisas,
Por isso, segue tu florescendo florida,
Para que alcances tudo o que meu amor te ordena
Para que passeie minha sombra por teu pelo,
Para que assim conheçam a razão de meu canto.

Graças a Deus tudo não passou de um susto. Tentei resgatar aquilo que não tinha feito e voltei no mesmo dia para casa. Assim que desembarquei no Rio tratei de comprar as flores tão ansiosamente esperadas pela Teresa.

Neste momento, você está vivo e saudável. Aproveite essa oportunidade e, ainda hoje, assim que puder, diga a pessoa amada que a ama, peça perdão àqueles que ofendeu, perdoe os que o ofenderam.

Dê um passo à frente, estenda suas mãos, deixe que seu corpo fale e abrace aqueles com os quais rompeu relação.

Nossa vida é muito curta para deixarmos que essas questiúnculas azedem nossa vida.

A Paz de Jesus

Mauro Malta

Posted in Grupo de Oração.

One Comment

  1. Gostei muitissimo da frase: você é responsável pelo dia que tem. Isso coloco em nossas mãos a responsabilidade de sermos um ser humano melhor. Colocando em nossa vida tudo que nos faz realmente bem, ter bons pensamento, ser verdadeiramente amigos das pessoas e gostar de estar a sós consigo mesmo. Pois ninguem consegue fugir de si mesmo. E acima de tudo coloco-se nas mão de nosso Criador e Senhor de nossas vidas.
    Parabéns! Continue a nos escrever.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *