Em Busca do Sentido da Vida – Parte 02

As três perguntas emblemáticas que tentaram ser respondidas ao longo da história dos tempos – Quem sou; Para Onde vou, Onde estou – encontram na religião cristã as respostas mais adequadas e não na filosofia.

Nossa vida tem sentido, mesmo no sofrimento, pois podemos transforma-lo em uma forma de aperfeiçoamento espiritual, basta entregarmos esses momentos a Deus, pedindo para que possamos enxergar luz na aparente escuridão que nos cerca.

Vivi algo parecido com isso no momento em que perdi o emprego onde estava há vinte anos. Era ali que cresci profissionalmente, onde adquiri experiência, fiz amizades, conquistei postos cada vez de maior responsabilidades e, subitamente, fui defenestrado.

Era em uma empresa pública e, tendo mudado a administração, simplesmente fui descartado.

Não foi por falta de habilidade profissional, por corrupção, ou por falta de eficiência. Simplesmente não pertencia ao grupo político que havia assumido a direção da empresa.

A frustração foi tamanha que “fiquei sem pé”, queria firmar-me em algo sólido e não encontrava nada. Afundei! Enfiei-me em um quarto escuro e recusava-me a ver qualquer pessoa. Deixei de comer e martirizava-me interiormente procurando encontrar os motivos que levaram a minha demissão.

Fiquei preso no passado e não conseguia ver o presente.

Quanto ao futuro só enxergava a escuridão.

Em síntese, minha vida não tinha mais sentido. Havia trabalhado, saindo todos os dias pela manhã voltando à noite, esforçando-me para desempenhar da melhor forma possível minhas atribuições, para quê? Para ser demitido daquela forma?

Valia a pena viver para terminar dessa forma?

Foi a força espiritual de minha esposa, Maria Teresa, quem me tirou da escuridão. Pouco a pouco me fez ver que tinha três filhas para cuidar, que não podia me entregar da forma como estava fazendo, que era preciso deixar de ver apenas o que havia feito no passado, mas olhar para frente, procurar viver o momento presente de outra forma, aproveitando tudo o que havia aprendido no passado para construir um presente digno de ser vivido.

Era preciso me reinventar.

Ela não disse para não ficar pesaroso pela perda do emprego, nem sobre o futuro, mas procurou levar-me a reuniões religiosas que participava, para que eu pudesse encontrar mais alguma coisa em quê acreditar, ao invés de ficar apenas remoendo coisas passadas, que eu não podia mais modificar.

Tinha que começar a pensar que tipo de vida desejava levar daqui para a frente, pois simplesmente trabalhar o dia inteiro para ganhar o sustento, voltar para casa, deitar e dormir, acordar no dia seguinte para voltar a fazer a mesma coisa, isso não era viver, era morrer cada dia. O trabalho tinha se tornado minha meta principal, para cujo cumprimento sacrificava o tempo que poderia ter desfrutado assistindo o crescimento de minhas três filhas.

Percebi que minha vida tinha que ser algo diferente, algo mais alegre, algo que preenchesse minha existência e não apenas preenchesse o tempo que ainda me restava de vida.

Foi através da mão de minha esposa, trabalhando como mensageira de Deus, que descobri um outro tipo de trabalho, onde o que importa não é o quanto você ganha, mas o quanto você ajuda ao próximo, não é como preenche seu tempo, mas como preenche o vazio de sua alma.

Conhecendo melhor a vida que Deus me havia concedido, seu amor por mim -apesar de saber que eu era um pecador, cheio de falhas – sua capacidade de inundar-me com sua graça, pude responder positivamente à vida que se descortinava a minha frente. Pude vislumbrar um futuro, dei um sentido a minha vida e saí do fundo do poço, saí da escuridão para a luz.

Posted in Grupo de Oração.

2 Comments

  1. Gostei bastaste da reflexão ¨Em busca do Sentido da Vida. Parte:02¨.
    Dar sentido a vida. Realmente só somos plenos quando assumimos compromisso com Deus e fazemos sua vontade. Daí para frente é o Senhor o nosso leme e a nossa menta final. Temos que ser mãos que ajudam cada irmão e está a serviço do Senhor. Pois assim acharemos repouso para nossas almas e nosso vazio interior preenchido.

  2. Muito lindo e corajoso o seu testemunho nesta Parte: 02¨ de ¨Em busca do Sentido da Vida.! Há momentos em que nós nos sentimos muito desvalorizados. Isso é comum. Mas, incomum é ter uma reação tão positiva diante dos fatos. Jesus é capaz de transformar nossas vidas em algo maior e incrivelmente incomum! Com a ajuda de Deus, podemos ajudar o próximo e fazer o extraordinário! Pena que nem sempre lembremos disso. Saiba que me senti bastante estimulada com seu texto e admiro ainda mais a sua esposa, Maria Teresa, por tanta dedicação a Deus. Já estou ansiosa para ler a Parte 03…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *