Papel das Mulheres na Bíblia – Parte 07

A oportunidade perfeita chegou quando uma mulher ouviu que Booz ia passar a noite no local da debulha dos grãos.

Seguindo os conselhos da sogra, RUTH preparou-se para esse encontro. Tomou banho, untou-se com óleo perfumado, colocou suas melhores roupas e foi para o local da debulha.

Esperou, sem se deixar ver, até que Booz estivesse sozinho e esqueirou-se para seu leito.
O encontro que ocorreu durante essa noite permanecerá sempre um mistério. Apesar das palavras inocentes, o texto contém tensão erótica:
Em uma noite de verão, no salão de debulha, uma jovem e bonita mulher, lavada e untada com óleos aromáticos, vestida com sua melhor roupa deita-se próximo a um homem que tinha bebido um pouco demais.

Ele desperta e alí está uma mulher a seus pés, sob seu cobertor.

Dois verbos Hebraicos “yada” – conhecer – e “shachav”- deitado (as palavras mais comuns do Hebreu para intimidade e sexo) são usadas aqui. A palavra “shachav”é repetida 8 vezs em 5 versículos.

Que homem pode resistir a tal sedução e não se sentir atraído para essa linda jovem que está pedindo para que ele a coloque sob sua asa?

A ação de Ruth foi sábia e muito arriscada, pois estava colocando-se inteiramente à misericórdia de Booz. Ele poderia ter se aproveitado dela naquela noite e expulsá-la pela manhã, ou a ter rejeitado publicamente, envergonhando-a por sua ação.

RUTH confiou em Booz. Confiou em sua dignidade e em sua promessa de que as bençãos de Deus jorrariam sobre ela. Não espanta que ele fosse denominada “gibor hail”(homem de valor, de reputação social).

Embora o método de RUTH não tenha sido ortodoxo, seus motivos não eram egoístas. Ela estava cumprindo seu destino e tentava restaurar o nome de seu falecido marido.

Depois daquele encontro noturno Naomi estava confiante que Booz não deixaria o sol se por antes de cuidar do assunto.

Existia um único parente de Naomi, vivendo em Belém, que tinha o primeiro direito ao resgate de RUTH, Booz esperou por esse homem (goel) nos portões da cidade, local onde tradicionalmente acordos importantes e decisões eram realizados.

Nos portões da cidade, na presença de anciãos, Abrão finalizou o aluguel da tumba para a famíla; Nos portões da cidade, o Rei julgava seu povo.

O livro de RUTH não revela o nome do homem que possuia o direito ao resgate que, em Hebreu, é “plony-almony”.

Booz sugeriu que o homem resgatasse o campo de Naomi e casasse com RUTH. a Moabita. para restaurar a semente do marido falecido.

Mas o homem afirmou ser incapaz de casar com RUTH.
Como sinal de sua incapacidade de casar com RUTH o homem tirou seu sapato e, na presença dos anciãos, passou seus direitos para Booz.

O parente resgatador indicava assim, que RUTH, a linda e humilde parente, é Moabita, com a qual não era permitido que um judeu se casasse, conforme escrito no Torah: “Ao amonita e o moabita não serão admitidos na assembléia do Senhor, mesmo até à décima geração, nem nunca jamais, porque não quiseram sair ao vosso encontro no caminho com pão e água, quando saístes do Egito” (Deut. 23:3-4).

Casando-se com RUTH Booz cumpriu um mandamento de Deus e quebrou outro. Os filhos dele e de RUTH, a moabita, não seriam considerado como parte do povo de Deus.

Era uma escolha dura de se enfrentar, mas Booz decidiu seguir seu coração, ser fiel as promessas que tinha feito a RUTH e a ser um instrumento para a recompensa de Deus para seus descendentes.

Ele escolheu arriscar sua própria herança para fazer o que era correto, porque sabia que a misericórdia eterna de Deus estava muito além da letra fria da Lei. Booz agiu de acordo com as palavras de Jesus em Marcos 8:35.” Aquele que quiser salvar sua vida irá perdê-la; mas, o que perder a sua vida por causa de mim e do Evangelho, irá salvá-la.”

Booz era um homem de integridade, honesto e misericordioso. Tinha um forte senso do que era certo e justo. E vemos que Deus o recompensou e a RUTH pelo comportamento sem egoísmo dos dois, conforme lemos em Ruth 4:12,21-22).

Booz admirou a dedicação e o sacrifício de RUTH e clamou as bençãos de Deus para recompensá-la por ter abandonado sua casa e partir para uma nação estrangeira.

Essas palavras para RUTH são similares ao mandamento que Deus deu a Abraão, para que abandonasse a casa do pai e fosse para uma terra desconhecida. Como recompensa por sua obediência, Deus deu a Abraão maravilhosas promessas e bençãos, como se lê em Genesis 12:2.

Mesmo sendo moabita, tendo escolhido o Deus de Israel para seguir, Deus fez de RUTH sua escolha primeira para ser a mãe da avó do Rei Davi e uma das mais notáveis mulheres da linhagem de Jesus e RUTH acreditou nessa promessa. Ela agiu na fé e seu comportamento não foi egoísta. Tratou de sua sogra com bondade e suas boas ações foram recompensadas por Deus. RUTH acreditou nas promessas de Booz e agiu de acordo com isso. Sua bondade, graça e espírito humilde, a fizeram a mãe da avó do Rei Davi, o predecessor do Messias.

Antes de examinar o papel de Maria verificaremos o papel da esposa de Urias, cujo nome não é mencionado na Bíblia. Trata-se de BAT SHEVA.

Posted in Grupo de Oração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *