OVELHAS, MOEDAS E O PAI AMOROSO (1997)

OVELHAS E MOEDAS

Meu irmão, minha irmã, muito boa noite você. Que a paz e a alegria do Amor de nosso Deus estejam sempre a iluminar seu coração. Que nosso Deus de bondade abençoe você por não ter faltado a esse encontro com ele. Ele quer mudar sua vida para melhor, sempre e cada vez mais, e por isso quer que você conheça e compreenda como ele é e como ele age. Ele quer lhe dizer algumas palavras criadoras e transformadoras, ensinar-lhe a usar o poder da Palavra que ele lhe deixou na Sagrada Escritura para mudar a sua vida e sua situação, de forma a que tudo concorra para o seu bem. Deus ilumine você e realize em você o grande plano de amor que tem a sua vida! Em nome de Jesus, assim seja.

Meu irmão, minha irmã, Jesus contou várias parábolas para exprimir seu desejo de alcançar os perdidos com as boas novas do Reino. Se alguém, possuindo 100 ovelhas perde uma, o que faz? “Não deixa as noventa e nove no campo aberto para ir à procura da que se perdeu, até encontrá-la?” (LC 15,4). E tendo-a encontrado, fica tão cheio de alegria que reúne seus amigos e vizinhos dizendo: “Alegrai-vos comigo, pois reencontrei a minha ovelha que estava perdida!” (v. 6).

Que lição Jesus depreende disto? “Eu vos digo, é assim que haverá alegria no céu por um só pecador que se converta, mais do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão.” (v. 7).

O céu se alegra com o Senhor ao ver seu reino se estender, ao ver uma alma perdida sob condenação chegar ao arrependimento, à vida nova e à herança do Reino.

Jesus contou uma parábola semelhante, a de uma mulher que tinha dez moedas e perdeu uma. Procura diligentemente e a encontra. Ela também reúne seus amigos e vizinhos para compartilhar sua alegria dc ter encontrado o que tinha se perdido. “Da mesma maneira, eu vos digo, há alegria na presença dos anjos de Deus por causa de um pecador que se arrepende. ” (LC 15,10).

Veja, meu irmão, minha irmã, como você e eu, cada um de nós é precioso para o Senhor nosso Deus! Somos tão preciosos para ele que ele enviou seu Filho para morrer e assim salvar-nos da condenação, da morte e do inferno. Como deve entristecê-lo ver pessoas se afastarem dele e até o negarem!

O PAI AMOROSO

A parábola do Pai amoroso, também conhecida como a do Filho Pródigo deve ser uma das passagens mais conhecidas e citadas dos ensinamentos do Novo Testamento.

Um homem tinha dois filhos. O mais moço pediu a seu pai sua parte da herança, que ele desperdiçou vivendo loucamente num país distante. Quando tinha gasto tudo, houve ali grande fome. Em necessidade extrema, ele arranjou o emprego de alimentar porcos e queria mesmo comer a comida deles; “mas ninguém lhe dava nada.”

O filho “voltou a si mesmo” e decidiu voltar para casa. Seu pai o viu vindo e correu para encontrá-lo, lançando os braços sobre ele c beijando-o. “Pai”, disse o filho, “pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado vosso filho.” (LC 15,21).

O pai ordenou aos empregados que lhe pusessem a melhor roupa, um anel em seu dedo e sandálias em seus pés. Um vitelo gordo ia ser morto para que pudessem ter uma festa em celebração. “Pois este meu filho estava morto e de novo vive; estava perdido e foi encontrado.”

O irmão mais velho ficou zangado quando, vindo do campo, chegou em casa e descobriu que a festa era em honra de seu irmão. Recusou-se a entrar. Seu pai saiu e insistiu com ele, mas ele só se queixou de que nunca lhe tinham dado uma festa para celebrar com seus amigos, ele, que tinha continuado diligente e obediente — não como seu irmão gastador.

“Meu filho” disse o pai, “você está sempre comigo, e tudo o que tenho é seu. Mas tínhamos que celebrar e estar alegres, porque este seu irmão estava morto e de novo vive; estava perdido e foi encontrado. ” (v.31-32).
Que riqueza de significados tem cada parábola de Jesus!

Primeiro, precisamos notar que ambos os irmãos eram filhos do pai, e, portanto, tinham uma herança que lhes cabia. Quando o mais moço pediu a sua parte, o pai Ih ‘a deu, embora deva ter compreendido que seria desperdiçada. Há muitos que pedem a herança do Reino, mas porque suas vidas não estão verdadeiramente submetidas à autoridade de Deus, e não têm genuíno amor por ele, desperdiçam essa herança. Estão mais atentos a fazer o que lhes agrada, e o Pai sabe que não pode forçá-los a amá-lo.

No entanto, ele está pronto a estender sua misericórdia e sua graça, seu amor e seu perdão a todo aquele que volta a ele arrependido. Uma vez que esse quebrantamento e arrependimento se verificam, o filho pode entrar na alegria do pai. Ele tem a alegria de ver o pai derramar sobre ele dons que certamente não merece. Há até uma festa para celebrar sua volta. O pai se enche de alegria porque seu filho voltou. Agora ele pode deixar-se ser amado pelo pai como não soubera fazer antes.

Eis aqui, então, suas palavras de fé e de poder para hoje:
Hoje Deus lhe dá Lucas 15,23-24: “Comamos e festejemos pois este meu filho estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi encontrado.”

Posted in Dom Cipriano Chagas, Vivências.

One Comment

  1. Parabéns por trazerem de volta os VIVÊNCIAS! Seria muito melhor ainda e mais COMPLETO, isto é, o programa inteiro, se fosse em áudio, como era no rádio e ainda por cima com a voz do próprio Dom Cipriano!

    Poderia ser cobrado uma Assinatura Mensal do Programa VIVÊNCIAS, tal qual como é feito na Revista JV, para um programa diferente para cada dia da semana, como era feito no rádio, de segunda à sexta.

    Na minha opinião, como eu fui “pescado” por JESUS pelo VIVÊNCIAS, muito outros foram e muitos outros ainda teriam a oportunidade também, de voltar para Igreja Católica.
    O Programa VIVÊNCIAS foi o único instrumento de evangelização que foi capaz de me trazer de volta para igreja, depois de ficar afastado por mais de 30 anos.

    Muito obrigado!

    Augusto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *