Adeus Carnaval! Vai deixar saudades…

2017 começou para valer. O Carnaval chegou ao fim, as fantasias foram encaixotadas e sofrendo dissemos adeus às purpurinas e tatoos temporárias.

Precisamos voltar a realidade, eu sei. Mas como é bom brincar como se não houvesse amanhã, poder sair na rua toda purpurinada e, como se fosse a coisa mais normal do mundo, sentar em uma mesa para trocar uma ideia com a mulher maravilha, a fada da floresta e o unicórnio! Todos juntos e misturados. Podem falar o que quiser do Carnaval, mas ainda encontramos o bom humor irreverente do carioca, nos permitindo alguns dias para deixar as preocupações de lado e apenas dançar e nos divertir. Isso não quer dizer que os problemas não existem ou que não estamos preocupados. Apenas um intervalo para descanso. Convenhamos que nós, brasileiros, estamos mais do que precisados dessas férias.

Segunda agora é dia de começos: nova dieta; novas metas; voltar com energia total ao trabalho… nova oportunidade para conhecermos um pouquinho mais do iceberg que o Veríssimo falou na sua última crônica no O Globo. Segundo ele, todos nós somos iceberg e mostramos aos outros apenas a pontinha. Todo o resto está submerso… escondido nas profundezas…

Quando li essa crônica no café da manhã de domingo, pós-Carnaval, vindo da experiência sensacional de tocar pela primeira vez com um bloco em São Paulo – Batucalacatuca – não pude evitar ficar pensando que durante o Carnaval alguns pedaços do iceberg se soltam, ganhando vida… fantasias que tentam achar seu caminho para existirem depois da quarta-feira de cinza… Quanto de nós mesmos não sufocamos durante o restante do ano para dar conta das responsabilidades da vida – família, trabalho, amigos… redes sociais…

Adeus Carnaval! Vai deixar saudades…. Acho perfeito a combinação do Carnaval e da Quaresma. Profano e religioso. Carne e espirito. Afinal, somos seres complexos, com uma infinidade de eus para dar conta. Sem falar na magnitude do iceberg! Não gosto da ideia de ser unidimensional, dentro de uma caixinha qualquer. Como se fosse sempre igual e o outro pudesse me conhecer por inteiro. Não. Multifacetada, iceberg profundo e misterioso – até para mim mesma. O Carnaval nos permite brincar com identidades, personagens e fantasias. A Quaresma nos convida a uma reflexão: quem sou, o que quero e o que não quero… qual minha contribuição? Um sem o outro é como Romeu sem Julieta. Goiabada sem queijo. Precisamos alimentar nosso corpo, mente e espírito. Encontrar um equilíbrio e sermos verdadeiros a nossa essência. Sem nos conhecermos, não dá para sermos verdadeiros. Seremos mais uma fantasia andando perdida por aí… sombra do que poderíamos ter sido. Então, vamos aproveitar que recarregamos as energias e bora mergulhar fundo em nós mesmos, aproveitando algumas dicas do Carnaval? Fica aqui o convite.

Posted in Alma Feminina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *